sábado, 16 de fevereiro de 2008

Homossexualismo - O que nos aconselha a Doutrina?


Estou pesquisando o tema, porque, ontem, na doutrinária do grupo que frequento, um jovem de 16 anos, me procurou e expôs a dúvida que habita seu coração. Ele me disse que ora se apaixona por menino, ora se apaixona por menina, criando assim dentro dele uma dúvida, que deve fazê-lo sofrer. Bom, eu não sou psicologa, nem tão pouco sei muito sobre o assunto, disse para ele não se preocupar com isto agora, que era normal ele ter estas dúvidas sobre sua sexualidade, mas que com certeza, no futuro, com o amadurecimento espiritual e moral, essas dúvidas serão dissipadas. Meus irmãos, não sei se fiz correto, nem errado, no momento foi o que me ocorreu, gostaria de pedir a vocês, que já estão na doutrina a muito mais tempo que eu, que estudam mais, o que dizer a este jovem? No livro dos Espíritos a pergunta 202 nos diz:


"Pergunta - Quando errante, que prefere o Espírito: encarnar no corpo de um homem, ou no de uma mulher?"
"Resposta - Isso pouco lhe importa. O que o guia na escolha são as provas por que haja de passar."

Mas, aqui fala das provas e não da sua sexualidade, e se ele se rebela, não aceitando sua forma atual, masculina ou feminina, como dizer um ente querido, um amigo, que ele está errado?? Se eu concebo Deus, um ser bom e justo, como condenar um irmão, que está dentro da doutrina aprendendo, lendo, mas não consegue se desviar dos liames materiais, sejam eles sexuais ou não??

Compreendo meus amigos, que um ser que passa por esta dúvida, está desequilibrado espiritualmente e emocionalmente, pode está sendo agente de outro espírito ( um obsessor) que o quer ridicularizar, mas nem sempre é isto, nem todos são vítimas de obsessores, nem todos são espíritos rebeldes, e o que dizer a todos eles espíritas ou não?? mesmo fora dos espiritismo, temos amigos que vivem esse dilema, essas dúvidas e sofrem preconceitos de toda espécie. Se os homossexuais não podem frequentar a casa espírita, isto não é fugir da lei de caridade?? Como podemos ajudá-los em sua transformação moral, se o próprio espiritismo não dá oportunidade para que eles, através do estudo, da prática do amor ao próximo, possa se transformar?
Muita paz e beijos fraternos

4 comentários:

Adriana disse...

Baby,

Muito interessante vc tocar nesse tema. Eu diria até uma coincidência, pois no final de semana passado eu coloquei uma série de 3 posts justamente falando sobre distúrbios sexuais, mas, como não acredito mesmo em coincidências... Quando comecei a fazer meu texto sabia que poderia ser útil a alguém, talvez aí esteja a resposta. Dá uma olhada, pois lá eu coloquei um texto (que ficou muito grande, por isso dividi em 3) fruto de uma pesquisa que fiz, onde no final indico alguns livros. Talvez possa ajudar em algo a vc e à pessoa que lhe procurou.

Bom, eu também não me acho muito apta a falar do assunto, afinal, não sou sexóloga, mas como espírita, e principalmente, como ser humano, acho que posso dar a minha opinião.

Realmente, não podemos negar que nos casos de homossexualidade deva haver um grande conflito espiritual, mas creio que essa seja mais uma forma de aprendizado para a criatura humana e assim sendo, deve ser encarada com o máximo de respeito da parte de todos. Sendo assim, eu acho um absurdo qualquer manifestação de preconceito para com essas pessoas. É mesmo inaceitável, pois, de fato, foge às leis de caridade e amor ao próximo...

Pessoalmente eu não considero o homossexualismo (ou o bissexualismo, como me parece ser o caso) como um grave distúrbio sexual. Para mim existem coisas muito piores, como por exemplo, a pedofilia, a necrofilia ou a zoofilia. Claro que não estou colocando esses distúrbios no mesmo patamar, apenas estou citando coisas que considero terríveis.

Acho que o homossexualismo nunca será algo considerado “normal”, especialmente pelas religiões, pois, considera-se que esse comportamento seria contra os princípios do uso da sexualidade entre homem e mulher como Deus criou, mas não acho que seja algo tão grave assim. Afinal, pensando-se dessa forma estaríamos dando apenas a função sexual (do ato propriamente dito) aos relacionamentos humanos e muitas vezes eu acho que o amor pode (e deve) transcender isso... Claro que o sexo faz parte da vida e é também importante mecanismo para o progresso humano (afinal, se não fosse o sexo, como ocorreriam as reencarnações?) mas acho que tudo deve ser analisado com cautela...

Quando eu falo que não considero o homossexualismo como um grave distúrbio é que eu acho que nesse caso o que deve ser observado, antes de qualquer coisa, é a postura moral da criatura. Creio que o problema maior seja a promiscuidade, e aí vemos que isso ocorre não só com os homossexuais, mas com os heterossexuais também...

O que vc falou no texto, Baby, sobre a pessoa se rebelar, não aceitando sua forma atual, masculina ou feminina, não acredito que seja bem assim. Não conheço o caso que vc expôs, mas acho que isso se encaixa mais nos casos dos transexualismo, que é considerado um transtorno de identidade, onde a criatura de fato não se aceita fisicamente, chegando a tomar hormônios e fazer intervenções cirúrgicas buscando mudar sua aparência física. Mas em muitos casos o homossexual gosta sim do seu corpo e não gostaria de mudar, se tivesse a oportunidade. Falo isso porque já tive vários amigos gays que me disseram isso, que gostam de se relacionar com outros homens, mas que gostam de ser homens também e não gostariam de mudar a sua aparência física. Então, neste caso, acho que talvez fosse interessante vc questionar isso da pessoa que procurou vc (claro que, se houver abertura para isso).

Acho que o problema maior está na mente. Eu acredito que sim, que uma pessoa pode ser homossexual e ser feliz, ela apenas deve, em primeiro lugar, aceitar-se como ela é, e então respeitar-se como pessoa. Esse é o primeiro passo. Depois, deve ter a certeza que Deus ama a todos e não abandona nenhum de Seus filhos. Independente de religião. Deus é maior que tudo. Seu amor é incondicional. Nós, humanos, criamos as religiões como uma forma de tentarmos nos aproximar do nosso Pai, mas, quando começamos a utilizá-la como pretexto para agir com diferença perante as outras pessoas, então essa religião não está servindo de nada e devemos reavaliar nossas atitudes...

Acho que o amor é a maior manifestação do ser humano, e penso que pode-se muito bem amar alguém que seja do mesmo sexo, pois isso torna-se apenas um detalhe quando o amor é verdadeiro e está acima de qualquer impulso sexual. Não sei se estou sendo clara. Vejo por aí muitos exemplos de homossexuais inteligentes, humanos, sensíveis, enfim, seres humanos melhores do que muitos “machões” ou “mulheres honestas” que vemos por aí... Inclusive, cada vez mais podemos ver casos em que casais homossexuais juntam-se e formam famílias muito respeitosas, vindo até a adotar crianças. Existe maior prova de amor e abnegação do que a adoção? Nestes casos os homossexuais dão a todos nós grandes exemplos que deveriam ser seguidos...

Baby, como sempre fiz um comentário imeenso, rsrs. Não sei se ajudei em algo. Ainda tinha mais coisas para falar, mas creio que já esteja bom! Rsrs. Vai lá no meu blog e qualquer coisa comenta que eu respondo, tá?

Espero que vc possa ajudar esse jovem da melhor maneira possível, acho que vc deu uma boa resposta, continue assim, diga a ele que tenha paciência e fé, pois ele ainda é muito jovem e vai conseguir encontrar o caminho. Deus está com todos nós e, para os Amigos Espirituais, não existe distinção de sexo, por isso não há preconceito, sendo assim eles auxiliam a todos, desde que nós façamos a nossa parte também...

Beijos! ;)

Baby disse...

Adriana, minha amiga Dri, linda, obrigada viuuuuuuuuuuuuuuuuuu?? adorei sua resposta, me esclareceu bastante, a questão da não aceitação do corpo físico ficou clarissimo para mim, então, amiga vou ler os posts e aprender mais e mais sobre a questão, no mais, vc deu a resposta que eu precisava ouvir( neste caso ler rsrsrs), obrigada de coração e isto tb é caridade, te amoooo minha irmã fraterna e que Deus te abençoe hj e sempre, muita paz

Adriana disse...

Baby,

Puxa, que bom saber que pude ajudar de alguma forma! Espero que vc goste dos textos do meu blog e que possa por sua vez ajudar essa pessoa que te procurou. Ele tem acesso à internet? Pergunto isso porque ele poderia acessar teu blog, né? E quem sabe o meu tb! Rsrs. Afinal, é para isso que estamos aqui, não é mesmo? Para ajudar-nos uns aos outros...

Obrigada por tudo, querida irmã fraterna! Também amo vc!!! Beijos e fica na paz de Jesus! E que os benfeitores espirituais te auxiliem e iluminem na sua jornada!... ;o)

Du disse...

Baby! Quem sou eu pra opinar? Mas acredito que sua resposta foi perfeita!
Eu não faria melhor.
Mas essa nossa amiga Adriana é fogo, heim?
Que exagero de inteligência!!!