domingo, 4 de novembro de 2007

ESCUTA, ALMA QUERIDA

Escuta, alma querida!...
Se alguém te apedrejou o coração,
Não plantes ódio na alma contundida
Nem pranteies em vão...
Sustenta, no caminho da esperança,
O perdão por dever,
Não te dês à vingança...
Esse alguém vai viver.
Dá sublimado amor que o mundo não descreve,
E, se alguém te despreza com mentiras,
Não repliques, de leve,
Nem lamentos profiras;
Segue à frente, na paz em que te escondas,
Abraçando a humildade por prazer.
Por maior seja o insulto, não respondas...
Esse alguém vai viver.
Seja onde for, se alguém te suplicia,
Sob golpes brutais,
Não reclames, não percas a alegria,
Nem te azedes jamais!
Acende a fé no peito sofredor
E procura esquecer.
Infeliz de quem ri na capa de agressor!...
Esse alguém vai viver.
Escuta, alma querida!...
Quem ofende ou se põe a revidar
Atira fogo e lama à própria vida,
Compra fel e pesar.
Cultiva a compaixão serena e boa,
Envolve todo o mal em bem-querer.
Ai daquele que fere ou que atraiçoa!...
Esse alguém vai viver.
(De "Antologia da Espiritualidade", de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Maria Dolores)

Um comentário:

Rene disse...

Este poema iluminado me apresentado, em 1965, por um aluno da Eeaer, jonas. A partir daí, passou a ser minha oração de todos os momentos, é bela e suave, e transpira e inspira tranquilidade.
René_________