segunda-feira, 10 de março de 2008

Perdoa agora

Não te detenhas.
Torna à presença do companheiro que te feriu e perdoa, ajudando-o a
recuperar-se.
Reflete e ampara-o.
Quantas dores e quantas perturbações lhe vergastaram a alma, antes que a
palavra dele se erguesse para ofender-te ou antes que o braço se lhe armasse
pela incompreensão e desferisse contra o golpe deprimente?
Guarda a calma e auxilia sem cessar.
Mais tarde, é possível que não possas, por tua vez, suportar o assalto da
ira e reclamarás igualmente o bálsamo da alheia compreensão.
Retorna ao lar ou à luta que talvez hajas deixado, e espalha, de novo, a
bênção do amor com todos os corações que jazem envenenados pelo fel da
crueldade ou pela peçonha da calúnia.
Não hesites, porém.
Perdoa agora, enquanto a oportunidade da reaproximação te favorece os bons
desejos porque, provavelmente, amanhã, o ensejo luminoso terá passado e não
encontrarás, ao redor de ti, senão a cinza do arrependimento e o choro
amargo de improdutiva lamentação.

(De "Assim vencerás", de Francisco Cândido Xavier, pelo espírito Emmanuel

2 comentários:

Du disse...

Perdoar é tão difícil, mas é uma das maiores realizações do ser humano!

Beijos, minha irmãzinha querida!

Baby disse...

Du é verdade