sábado, 29 de agosto de 2009

MEDIUNIDADE ÚTIL



"O desenvolvimento da mediunidade se processa na razão do desenvolvimento moral do médium? - Não. A faculdade propriamente dita é orgânica, e portanto independe da moral. Mas já não acontece o mesmo com o seu uso, que pode ser bom ou mau, segundo as qualidades do médium." - O Livro dos Médiuns, cap. 20 - 226 - § 1



Comparemos a mediunidade à eletricidade.

Ambas são, em si, forças neutras. Os resultados obtidos com a sua aplicação

dependerão exclusivamente de dosagem e direcionamento.

Da mesma forma, não é a simples presença da faculdade mediúnica que

eleva ou compromete o indivíduo, mas sim o uso que se faz dela, mediante o

livre-arbítrio.

Toda força psíquica necessita de educação para converter-se em recurso útil. E a

educação se consolida de dentro para fora, compreendendo fases distintas, quais

sejam o registro, a conscientização, a assimilação e a adoção de hábitos

que passam a reger o comportamento.

No caso da prática mediúnica, esses princípios devem estar alicerçados na ética e

na disciplina. Por isso, educar a mediunidade significa, antes de tudo, reeducar a si

mesmo, de dentro para fora.

Alheios a isso, inúmeros companheiros maravilham-se com a presença da

faculdade em si mesmos, mas ignoram as tendências que carregam no próprio campo

moral, esquecendo-se que tais tendências podem significar a diferença entre o triunfo e

o fracasso.

Por essa razão, a Doutrina Espírita recomenda que o desenvolvimento

mediúnico faça parte de um programa maior, envolvendo a reforma interior da criatura

em todos os aspectos.

Para isso, é necessário um mergulho interno que ultrapasse a superficialidade

do fenômeno e vá além das barreiras do ego.

Conhecer-se melhor para melhor atuar no intercâmbio com o Além.

Conscientizar-se das próprias forças psíquicas a fim de canalizá-las

adequadamente, de maneira que representem elemento útil na obra de construção

moral do planeta.

Renovar hábitos para ensejar o clima propício às comunicações úteis.

Assimilar as leis morais que regem o cosmos, fazendo-as vibrar no próprio

universo interior.

Exteriorizar o bem por meio de pensamentos e atos, para que o bem,

representando nossa vinculação com a Consciência Cósmica, nos sustente a

marcha e nos credencie ao trabalho junto dos edificadores da Nova Era.

Sem isso, a mediunidade não passará de força fora de controle, cujas

consequências serão sempre imprevisíveis.

(De "Mediunidade - Autoconhecimento", de Clayton Levy, pelo Espírito
Augusto).

3 comentários:

Diogo Caceres disse...

Oi Cris, boa noite, tudo bem?
Mediunidade, flor divina do espirito que deve perfumar a vida em todos os instantes... mediunidade se exerce não só na reunião do centro, mas em todos os momentos do dia... qdo somos mediuns da paciencia, do carinho, da fé, do amor, aos nossos semelhantes... todos os dias desenvolvemos essa faculdade inerente ao ser qdo nos doamos ao semelhante!!
Ótima postagem e abraço!!

*Teresa Cristina* disse...

òtimo post!!!obg por compartilhar....muitos querem os louros por serem médiuns....mas poucos buscam os estudos, o entendimento, o compromisso sério, colocando muita das vzs a vaidade e orgulho acima até mesmo da Causa.
Sei q não devemos julgar para não sermos julgados, mas sempre procurei me questionar...qual o maior fenomeno dentro desta Doutrina o mediunico ou aquele que se processa dentro do meu ser??.....questionar eis a palavra chave....e obter a resposta dentro deste questionamento com maturidade e responsabilidade e se vier acrescentado de amor tudo ficará melhor.Que possamos fazer de cada dia uma busca infinita em nos tranformarmos em homens de bem.
Muita Paz pra ti^^
Bjss ♥

Cris disse...

Diogo eu estou bem e espero q vc tb, obrigada pela visita e realmente a mediunidade é exercíco de todo dia e iluminada pelo Cristo, torna-se tarefa abençoada.
beijos fraternos!

Tereza Cristina, realmente devemso nos questionar sempre, no Evangelho de KArdec está bem claro que devemos nos educar para obter a fé raciocinada.

bjos fraternos!